| envie seu trabalho |seja colaboradorx |
Home > Moda > AS TRANSFORMAÇÕES NA INDÚSTRIA DA MODA DURANTE E PÓS PANDEMIA

AS TRANSFORMAÇÕES NA INDÚSTRIA DA MODA DURANTE E PÓS PANDEMIA

O coronavírus é um cisne negro que trouxe consequências dramáticas ao mundo. Inesperadamente interferiu na rotina diária de pessoas, sistemas, negócios e governos. Além de ter sua duração assustadoramente imprevisível. Diante disso a economia perdeu o rumo e deu lugar a incertezas. E uma das indústrias mais impactadas é a da Moda.

 

 

Segundo o relatório da McKinsey, líder mundial em consultoria empresarial, a maior necessidade no momento é de transformações e mudanças na indústria da moda afim de reascender o sistema que não está mais funcionando com a chegada da pandemia. Essa poderia ser a maior contração da economia desde a 2ª Guerra Mundial, atingindo todos os setores. Porém, desde o final de Março de 2020 o mercado da moda teve um dos maiores declínios, de quase 40%. Consequentemente isso impacta todas as pessoas envolvidas na cadeia de suprimentos, desde quem colhe as fibras dos têxteis até os vendedores do produto final.

Se antes da pandemia a indústria da moda gerava quase U$3 trilhões em receita global anual, agora estima-se contração de 27% a 30% em 2020 podendo recuperar de 2% a 4% em 2021. Enquanto isso estima-se na indústria do luxo uma contração de 35% a 39% com recuperação de 1% a 4% em 2021. Sobretudo a análise da McKinsey aponta que 80% das lojas de moda que permanecerem fechadas durante 2 meses, ficarão em uma situação financeira difícil. Assim como grandes empresas globais de moda irão falir nos próximos 12 a 18 meses.

Portanto a luta está apenas começando e a atenção está voltada também ao novo comportamento dos consumidores. Em resumo, o mundo mudou, as pessoas mudaram e a moda também precisa mudar. Acima de tudo o que se vê é a demanda pela digitalização de negócios, a desmaterialização e a busca por valores e experiências. Inegavelmente foi assim que o varejo, o design e todo sistema da moda sofreu uma aceleração avassaladora do dia para a noite. De certo não foi nada que já não estivesse sendo cobrado desse mercado, porém ganhou velocidade e tornou emergencial a redefinição e remodelagem das empresas tal qual reavaliar seus valores e missões. Então com essa nova necessidade a McKinsey aponta que os esforços das marcas deverão se intensificar e ter grande foco nos 5 temas abaixo:

 

Instinto de Sobrevivência

A luta contra a pandemia colide com uma recessão de mercado. Logo obriga os players da moda a acelerar um planejamento de adaptação operacional para a nova realidade. Desta maneira as empresas que sobreviverem terão feito intervenções rápidas e ousadas para estabilizar seus negócios.

 

Mentalidade do Desconto

2020 tem se sido temido pelos varejistas pelo uso incessante da palavra “desconto”. De fato nasceu uma cultura comercial da barganha com o aumento da desmaterialização e do anti-consumismo. Pois os consumidores estão sem dinheiro e procurando negociar os preços para baixo. Sendo assim, para alcançar os clientes desencorajados de consumir, as marcas devem procurar maneiras de recuperar seu valor e repensar a missão empresarial.

 

Digitalização em Escala

Com o distanciamento social destacou-se a importância dos ambientes e ferramentas digitais para as marcas como nunca visto antes. Em vista disso as tecnologias digitais tem sido a prioridade para toda a cadeia de valor da moda. Por isso as empresas que não escalarem e direcionarem suas capacidades digitais para se recuperar da crise sofrerão a longo prazo. Além de tudo os consumidores continuarão a exigir mais e mais ações rápidas das marcas.

 

Consolidação Darwiniana

Está claro que a crise abala os fracos, encoraja os fortes e acelera o declínio de empresas que já estavam enfraquecidas antes da pandemia. Portando é preciso se adaptar ao novo mercado e avaliar todas possibilidades de desinvestimentos e aquisições para fortalecer a base e remodelar o negócio para se destacar no novo cenário.

 

Inovação Imperativa

Para lidar com novas restrições, mitigue o impacto prejudicial da pandemia e adaptação às mudanças econômicas e de consumo. Inevitavelmente as empresas devem introduzir novas ferramentas e estratégias em toda a cadeia de valor para seus modelos de negócios. Com o propósito de inovar fazendo mudanças radicais e duradouras para quando a poeira baixar.

 

 

Diante de uma enorme contração nas receitas globais, a moda está focada no gerenciamento de crise e no planejamento de contingências, mas a hora é de repensar completamente essa indústria. O momento ainda é marcado pela colaboração, inclusive entre concorrentes. Pois as empresas não passarão por essa crise sozinhas e precisarão compartilhar dados, estratégias e ideias de como atravessar essa longa tempestade. Por isso que compartilhar esse fardo será decisivo para a estratégia de recuperação.

Assim, com a análise de dados, pesquisas e visões dos profissionais da moda, a McKinsey traz o especial “Coronavirus Update to The State of Fashion 2020” para colaborar com o avanço das medidas a serem tomadas e descrever como será o novo normal e onde deverá ser concentrado todo o esforço quando essa crise humanitária e financeira estiver sob controle. Faça o download do relatório completo aqui.

 


 

Quer mais?

Fique por dentro das últimas novidades do mercado da moda e inove.

QUERO

 

You may also like
MANEQUIM ROBÔ CONECTADO E ESCALÁVEL TRAZ SOLUÇÃO PARA A MODA
10 MOTIVOS PARA INVESTIR EM PRODUTOS COM IDENTIDADE DIGITAL
POR QUÊ A MODA PRECISA CADA VEZ MAIS DA TECNOLOGIA BLOCKCHAIN?
COMO A RALPH LAUREN TRANSFORMOU SEUS PRODUTOS DIGITALMENTE
O BIODESIGN NA INOVAÇÃO PARA MODA SUSTENTÁVEL
A NOVA ERA DOS TECIDOS DE FIBRAS DE FRUTAS (PARTE 1)
CONHEÇA O DESIGNER QUE TRANSFORMA ROUPAS COM APENAS UMA TESOURA
ROUPAS PRODUZIDAS POR COMPUTADOR, E MULHERES QUE PROGRAMAM

Leave a Reply