A VERDADEIRA ESSÊNCIA DA MODA: DIOR E TODOS OS DETALHES ANTES DAS PASSARELAS

A criação de uma identidade é a essência das maiores marcas de design incluindo a moda. Ao pensar em seguir o calendário da moda e estar presente nas passarelas mais conhecidas do mundo é de extrema importância buscar fortes referências artísticas e comportamentais, e saber traduzi-las em design para compor o diálogo entre conceito e vestuário. O grande diferencial para se destacar é analisar o que passou e conectar ao momento atual, estar atento a cada passo que está por vir e experimentar.
 

 

A moda é uma ferramenta de comunicação e expressão, através do design de cada peça, uma mensagem é passada, uma história é contada. Conhecer técnicas das mais antigas as mais atuais, processos de produção, desenvolvimento de novas formas e materiais, e novas maneiras de vestir, é muito significativo para seguir na vanguarda da moda.
 

 

Segundo Maria Grazia Chiuri, diretora de criação da Dior, é preciso trazer a juventude para a linha de frente dos pensamentos ao criar. Para a nova coleção Outono Inverno 2018-2019, Grazia Chiuri se inspirou no movimento Youthquake de 1965- termo criado pela lendária editora de moda Diana Vreeland onde a cultura jovem começou a tomar conta das casas de moda, e no movimento de maio de 68, que mudou o mundo, e as mulheres começaram a conquistar a independência. Em arquivos, a diretora criativa revela ter encontrado fotos de mulheres protestando em frente a Dior por não haver saias curtas o suficiente, e lembra que nessa época as Casas de Alta Costura começaram a fechar e as boutiques a ganhar força, pois existia a ideia de que a moda era apenas para a Alta Sociedade, e então ela começou a ser democratizada. Foi ai que nasceu a linha Miss Dior, que podia ser adquirida em boutiques, sem precisar de provas sob medida, um momento revolucionário na moda.
 

 
Os bordados da nova coleção prêt à porter são inspirados nos arquivos da Dior, pintados a mão e depois aplicados um por um pelos Ateliês Vermont. Impressões Indienne do século XVIII que se assemelham a tecidos fabricados na Índia também aparecem bordadas em cores sutis. Assista abaixo alguns processos pelos quais passa a coleção durante o seu desenvolvimento:
 


 


 


 


 

Desfile da Coleção:


 

Entrevista com a Diretora Criativa da Dior, Maria Grazia Chiuri:


 

Dior

 


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *